5 Experimentos Psicológicos que Expõem o Lado Negro da Humanidade (Parte 4)

Encontrei esse artigo em inglês e o estou traduzindo.
Fontes: Cracked.com e Mindpowernews.com

[Parte 4]

Psicólogos sabem que têm que ter cuidado quando exploram a mente humana, porque nunca se sabe o que vai encontrar. Uma série de experimentos psicológicos ao longo dos anos tem rendido aterradoras conclusões sobre os temas.

Ah, não estamos falando de um ocasional psicopata. Não, nós estamos falando sobre você. Os experimentos falam por si:

# 2. O Experimento da Prisão de Stanford (1971)

A Preparação: O psicólogo Philip Zimbardo queria descobrir como o cativeiro afeta as autoridades e os detidos na prisão. Soa inocente o suficiente. Sério, o que poderia dar errado?

Zimbardo transformou o porão do Departamento de Psicologia de Stanford em uma “prisão”. Voluntarios apareceram respondendo a um anúncio de jornal e, em seguida, passaram por um teste provando boas condições de saúde e alta qualidade e estabilidade mental, que são fatores muito importantes para decidir quem vai para a prisão. Estes voluntários eram todos estudantes universitários do sexo masculino, que foram então divididos arbitrariamente em 12 guardas e 12 prisioneiros. O próprio Zimbardo decidiu que queria jogar também, e ele próprio se nomeou o Superintendente da prisão. A simulação foi planejada para ser executada durante duas semanas.

Nada poderia ir errado.

O Resultado: Demorou cerca de um dia para cada participante se transformar subitamente em um louco. Já no segundo dia, os presos encenaram um motim na prisão, bloqueando suas celas com suas camas e insultando os guardas. Os guardas viram isso como um bom pretexto para iniciar o uso de extintores nos insurgentes porque, hey, por que diabos não?

Desse momento em diante, a Prisão de Stanford que já tinha ido para o inferno, apenas continuou a fazer ricochete em torno do inferno dia após dia. Alguns guardas começaram a forçar os presos a dormir nus sobre o concreto, restringindo o banheiro como um privilégio (que muitas vezes foi negado). Os presos foram forçados a fazer exercícios humilhante e tinham que limpar os banheiros com suas próprias mãos.

Incrivelmente, quando aos “presos” foi dito que tinham uma chance de liberdade condicional e, em seguida, foi negada a liberdade condicional, não ocorreu a eles simplesmente pedir para sair do danado do experimento. Lembre-se que tinham absolutamente nenhuma razão jurídica para serem presos, eles estavam apenas em um jogo. Este fato continuou a fugir-lhes, pois sentaram nus na sua própria sujeira, com sacos em suas cabeças.

Mais de 50 forasteiros haviam parado para observar a prisão, mas a moralidade do julgamento nunca foi questionada até a namorada de Zimbardo, Christina Maslach, opôr-se veementemente. Depois de apenas seis dias, Zimbardo suspendeu a experiência (vários dos “guardas” expressou decepção). Se você estava prestes a aplaudir Maslach como a única pessoa sã envolvida nesta maluquice, você deve saber que ela se casou com Zimbardo, o cara que orquestrou a coisa toda.

O que isso revela sobre Você: Você já foi assediado por um policial que agiu como um grande imbecil, empurrando-lhe sem nenhuma razão? A ciência diz que se os papéis fossem invertidos, provavelmente você agiria da mesma forma.

Conforme o experimento, é normalmente o medo da repercussão que nos impede de torturar seres humanos. Nos dê poder absoluto sobre alguém e um cheque em branco de nossos superiores hierárquicos, e algo deve acontecer. Ei, se pode acontecer a um bando de estudantes universitários hippies da era Vietnã, é certo que poderia acontecer a você.

Facebook comments:

Leave a Reply