5 Experimentos Psicológicos que Expõem o Lado Negro da Humanidade (Parte 3)

Encontrei esse artigo em inglês e o estou traduzindo.
Fontes: Cracked.com e Mindpowernews.com

[Parte 3]

Psicólogos sabem que têm que ter cuidado quando exploram a mente humana, porque nunca se sabe o que vai encontrar. Uma série de experimentos psicológicos ao longo dos anos tem rendido aterradoras conclusões sobre os temas.

Ah, não estamos falando de um ocasional psicopata. Não, nós estamos falando sobre você. Os experimentos falam por si:

# 3. Experimento da Apatia do Espectador (1968)

A Preparação: Quando uma mulher foi assassinada em 1964, os jornais divulgaram que 38 pessoas tinham ouvido e visto o ataque, mas não fizeram nada. John Darley e Bibb Latane queriam saber se o fato de que essas pessoas estavam em um grande grupo desempenhou qualquer papel na relutância em ajudar.

Os dois psicólogos voluntários convidados a tomar parte na discussão alegaram que o tema, por ser extremamente pessoal, deveria ser discutido com os indivíduos separados em diferentes salas conversando uns com os outros por um intercomunicador.

Durante a conversa, um dos membros teria uma falsa crise epiléptica, o que poderia ser ouvido pelos demais.

O Resultado: Quando os indivíduos acreditavam que eles eram a única outra pessoa na discussão, assim que a encenação de crise começou, 85 por cento foram heróicos o suficiente para sair da sala e procurar ajudar os outros. Então isso é bom, né?

Bem, eles não tinham acabado. Quando o experimento foi alterado, para que os participantes acreditassem que outras quatro pessoas estavam na discussão, apenas 31 por cento foi procurar ajuda assim que a encenação de crise começou. O resto assumiu que alguém iria cuidar do problema. Então a frase: “Quanto mais, melhor” de alguma maneira se perdeu na tradução, porque a expressão correta deveria ser: “Quanto mais, a maior é a probabilidade de que você vai morrer se você tiver uma convulsão.”

O que isso revela sobre Você: É claro que se existir uma situação de emergência e você for o único presente, a pressão para ajudar aumentar dramaticamente. Você se sente 100 por cento responsável pelo que acontece. Mas, quando você estiver com 10 outras pessoas, você é apenas 10 por cento responsável. O problema é todo mundo se sente só 10 por cento responsável também.

Esse experimento dá uma perspectiva diferente sobre nossos experimentos anteriores. Talvez os condutores que desviaram da mulher ferida na estrada teriam parado se eles estivessem sozinhos, em uma estrada deserta (#4). Ou então, talvez eles estivessem ainda mais propensos a abandoná-la, uma vez que ninguém estivesse assistindo (#5).

Ou talvez ele se resuma a apenas quão plausível possa ser uma desculpa que façamos por nós mesmos. “Certamente alguém virá para salvar a moça no meio da estrada,” ou, “Certamente alguém vai fazer alguma coisa sobre o meio ambiente”, ou ainda “Certamente o tubarão vai ficar cheio e parará de comer aquele cara.”

Só precisamos da menor desculpa para não fazermos nada.

Facebook comments:

Leave a Reply