5 Experimentos Psicológicos que Expõem o Lado Negro da Humanidade (Parte 2)

Encontrei esse artigo em inglês e o estou traduzindo.
Fontes: Cracked.com e Mindpowernews.com

[Parte 2]

Psicólogos sabem que têm que ter cuidado quando exploram a mente humana, porque nunca se sabe o que vai encontrar. Uma série de experimentos psicológicos ao longo dos anos tem rendido aterradoras conclusões sobre os temas.

Ah, não estamos falando de um ocasional psicopata. Não, nós estamos falando sobre você. Os experimentos falam por si:

# 4. O Experimento  do Bom Samaritano (1973)

A Preparação: A história bíblica do Bom Samaritano, caso você não tenha ouvido, é sobre um samaritano que estava de passagem ajudando um homem ferido em necessidade, enquanto outros passavam direto. Os psicólogos John Darley e Daniel C. Batson queriam testar se a religião tem qualquer efeito sobre o esse tipo de comportamento.

Os participantes eram um grupo de estudantes seminaristas. À metade dos alunos foi dada a história do Bom Samaritano, e pediu-se que realizassem um sermão sobre isso em outro edifício. À outra metade foi dito para darem um sermão sobre oportunidades de trabalho em um seminário.

Como um ingrediente extra, aos indivíduos foram dados diferentes prazos que eles teriam para entregar o sermão, de modo que alguns estissem com pressa e outros não.

Em seguida, a caminho do edifício, eles passariam por uma pessoa caída, que parecia precisar de ajuda.

O Resultado: As pessoas que tinham estudado a história do “Bom Samaritano” não paravam com mais freqüência do que qualquer dos que preparam-se para um discurso sobre as oportunidades de emprego. O fator que parecia realmente fazer a diferença era o quão apressados os alunos estavam.

De fato, se pressionados pelo tempo, apenas 10 por cento iriam parar para dar qualquer ajuda, mesmo quando estavam a caminho para dar um sermão sobre como é fabuloso para as pessoas parar e dar ajuda.

O que isso revela sobre você: A verdade é que nós somos tão suscetíveis a hipocrisia como são os políticos. Afinal, é muito mais fácil falar com uma sala cheia de pessoas a ajudar estranhos malcheirosos sangrando no meio da rua. Assim sendo, até mesmo o ato de ressaltar a hipocrisia de outro é uma forma de hipocrisia.

E caso você pense que estes resultados são restritos apenas a estudantes seminaristas hipócritas, lembre-se de alguns anos atrás, quando máquinas fotográficas capturaram pelo menos uma dúzia de carros se recusarem a parar por uma mulher, que se feriu na estrada.

Facebook comments:

Leave a Reply