Oxímoro…

Oxímoro é, segundo o dicionário Houaiss, uma figura de retórica na qual se combinam palavras de sentidos opostos que parecem excluir-se mutuamente, mas que, no contexto, reforçam uma expressão.
Por exemplo: o grito do silêncio, silêncio ensurdecedor, obscura claridade, contentamento descontente, ilustre desconhecido, e por aí vai.
Escola Superior de Guerra, noutro exemplo, é um oxímoro, na opinião de Millor Fernandes: segundo ele, sendo de guerra não poderia ser superior.
Pois é. O Brasil, além de tudo, é mesmo um país oximoroso. O autor da descoberta é o professor de português Sérgio Rodrigues.
Há um tremendo oxímoro que não sai das manchetes dos jornais nos últimos dias:
“Conselho de Ética do Senado”

Facebook comments:

3 thoughts on “Oxímoro…

  1. Benito,

    Oxímoro ou oximoro (vem do grego, é composto de “agudo, aguçado” e “estúpido”) é uma figura de linguagem que harmoniza dois conceitos opostos numa só expressão, formando assim um terceiro conceito que dependerá da interpretação do leitor.

    Dado que o sentido literal de um oximoro (por exemplo, um instante eterno) é absurdo, força-se ao leitor a procurar um sentido metafórico (neste caso: um instante que, pela intensidade do vivido durante o mesmo, faz perder o sentido do tempo). O recurso a esta figura retórica é muito frequente na poesia mística e na poesia amorosa, por considerar-se que a experiência de Deus ou do amor transcende todas as antinomias mundanas.

    O contrário de oximoro é pleonasmo.
    Em espanhol ele é chamado de Oxímoron.

    Exemplos de oximoros
    - inocente culpa
    - lúcida loucura
    - silêncio eloqüente
    - gelo fervente
    - tácito tumulto
    - ditadura democrática
    - ilustre desconhecido
    - Movimento apolítico (Pois todo movimento social é político)

    Explicação extraída de http://pt.wikipedia.org/wiki/Oximoro
    A explicação em espanhol está em http://es.wikipedia.org/wiki/Ox%C3%ADmoron

Leave a Reply